Artigos

Vibração ocupacional pode causar danos à saúde do trabalhador

Saúde Empresarial

A exposição ocupacional continuada às vibrações pode causar sérios prejuízos à saúde do trabalhador, como doenças vasculares, neurológicas e musculares, se não houver controle dos riscos e proteção adequada.

Em entrevista ao Podprevenir, Cristiano Molica, engenheiro da Instrutherm, empresa especializada em instrumentos de medição para a área de segurança e saúde no trabalho, explica que os efeitos da vibração no organismo humano dependem de quatro variáveis: pontos de aplicação da vibração em mãos, braços ou no corpo inteiro; frequência das oscilações; aceleração e duração da exposição.

A vibração de mãos e braços é produzida por ferramentas manuais energizadas, utilizadas nas mais diversas atividades, como furadeiras, motosserras, marteletes, entre outras. Já a vibração de corpo inteiro resulta do trabalho em veículos, como ônibus, tratores, caminhões, máquinas agrícolas.

Ele lembra que a exposição à vibração de alta intensidade e duração nas mãos, por exemplo, pode levar à chamada Síndrome de Raynaud, mais conhecida como doença dos `dedos brancos’. “Como a enfermidade afeta o sistema circulatório, provocando o estreitamento dos vasos sanguíneos, o trabalhador fica com as pontas dos dedos brancas, correndo inclusive o risco de perda de membros superiores”, alerta o engenheiro.

Além da importância da medição e controle dos níveis de vibração ocupacional para proteger a saúde do trabalhador, Molica também reforça a adoção de outras medidas preventivas, entre elas, o uso de  ferramentas ergonômicas, EPIs apropriados e pausas regulares para reduzir o tempo de exposição.

Data: 18/01/2018 / Fonte: CMR Comunicação