Artigos

Telemedicina pode ampliar o papel da Medicina do Trabalho

Saúde

O acesso facilitado a especialistas e a possibilidade da segunda opinião podem aumentar o índice de resolutividade de problemas de saúde

“Estamos a um passo de uma mudança que vai ampliar o acesso a médicos e a programas de saúde. Não só a moradores de regiões distantes, mas também a trabalhadores que contam com programas de Medicina do Trabalho”. A opinião é do médico Cezar Berger, CEO do Imtep, maior empresa brasileira na gestão de ambulatórios empresariais e em saúde ocupacional.

A mudança será uma das consequências da nova resolução do Conselho Federal de Medicina, que regulamenta de forma mais ampla o papel da Telemedicina.

“A resolução do CFM 2227/2018 é fruto de uma longa discussão, que vem mais precisamente desde 2002. Tem como objetivo regulamentar o uso da ferramenta “internet” no diagnóstico, na orientação, no estudo e até na prescrição médica. Não deve e não menciona a substituição do médico! Vai facilitar o atendimento a locais de difícil acesso ao médico pelo paciente, ao melhor diagnóstico, à discussão de casos e à segunda opinião, entre outros benefícios”, ressalta Berger.

“Na área de saúde ocupacional, acredito em um grande avanço devido a facilidade dos colaboradores terem acesso à profissionais da saúde do trabalho e até mesmo a outros especialistas. Tudo isso dentro das companhias em que trabalham, com o apoio de equipes de saúde”, complementa Dr. Cézar.

Com a nova regulamentação, os ambulatórios dentro das empresas ganham ainda mais importância. Hoje, a resolutividade de problemas de saúde chega a 85% com base em ações de atenção primária. Com o acesso facilitado a especialistas, a expectativa é que este índice melhore ainda mais.

Somam-se ainda a vantagem de diminuir o tempo de ausência no posto de trabalho, a ampliação do acesso à consultas e exames em lugares de difícil acesso como plataformas de petróleo, além da troca de informações de profissionais da saúde por videoconferência.

Outro foco do atendimento virtual será a presença do profissional médico ou do enfermeiro do trabalho na orientação quanto às normas regulatórias do trabalho, exigidas por Lei.

Já é realidade

O Grupo Implus, do qual o Imtep faz parte, já conta com ferramentas que facilitam o acesso a informações e aos programas de saúde. A Implus Care, empresa de gestão integrada de saúde do grupo, oferece programas de qualidade de vida e de monitoramento de pacientes crônicos. Entre suas ferramentas está o NetCare, que é uma plataforma tecnológica pela qual os beneficiários podem ter acesso a uma orientação em saúde contando com uma equipe multidisciplinar.

Com a nova regulamentação da Telemedicina, a Implus Care também vai oferecer o acesso a consultas e orientação médica através de plataformas virtuais, com o foco em prevenção, cuidados e atenção primária.

“O objetivo é chegar aos mesmos índices de resolutividade de outras frentes que trabalham com o conceito de Atenção Primária à Saúde, contando com Médicos da Família, prezando pela qualidade e pela segurança de cada beneficiário”, explica o CEO da Implus Care, Rodrigo Malucelli.

 

Fonte:

Aroldo Murá

Diário Induscom

Saúde Business