Notícias

Cerca de 30% das mortes no país são decorrentes de doenças cardiovasculares

Imprensa, Notícias

Data: 26 de julho de 2018

As doenças cardiovasculares são as principais causas de mortes no Brasil. Ao todo representam 30% dos óbitos de acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia.

Para se ter uma ideia da gravidade do assunto, somente neste mês 10 mil mortes foram causadas no país por doenças relacionadas ao sistema cardiovascular. De janeiro a julho deste ano já foram 184 mil vítimas de doenças desta natureza.

Segundo a Médica da Família responsável pelo Programa de Promoção da Saúde e Qualidade de Vida do Instituto de Medicina e Segurança do Trabalho do Estado do Paraná (Imtep) Aline Pasiani, a maior parte das vítimas de doenças cardiovasculares tem hábitos considerados não saudáveis. A médica conta quais são esses hábitos.

Outro dado levantado pela Sociedade Brasileira de Cardiologia é o de que nem sempre os pacientes seguem as orientações médicas. A cada três receitas passadas pelos médicos, uma nunca será utilizada pelo paciente. Além de um problema de saúde pública que atinge diretamente a população, os problemas cardiovasculares afetam também a produtividade nas empresas, e isso aumenta os custos da gestão de saúde.

A médica Aline Pasiani explica de que forma as empresas podem prevenir as doenças cardiovasculares dentro do ambiente de trabalho.

A Brazil-US Business Council, organização que se dedica ao fortalecimento das relações econômicas e comerciais entre os Estados Unidos e o Brasil, estima que até 2030, os casos de absenteísmo – que é quando o funcionário falta ao trabalho, de presenteísmo – que é quando o funcionário está presente mas não produzindo como se esperava, e os de aposentadoria precoce causados por doenças crônicas atinjam perdas de 8,7% do PIB.

A Região Sul possui a maior prevalência de doenças crônicas do país com 52,1% dos casos, de acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde realizada em 2013, em parceria com o Ministério da Saúde e IBGE.

Repórter Vanessa Fernandes

Entrevista na CBN Curitiba

Ouça a entrevista completa