Artigos

Desafios e ferramentas para gestão ativa e integral da saúde corporativa

Dicas de gestão, Saúde Empresarial

Como vem sendo tratada a saúde dos colaboradores dentro da sua empresa?

Essa pergunta é uma forma de provocar os gestores das áreas de recursos humanos, saúde e por que não, financeira das corporações.

Em muitas empresas, a oferta de um plano de saúde é entendida como o todo de uma política de benefícios voltada saúde e bem-estar. É comum também vermos ações de departamentos para incentivar a boa alimentação, a prática de exercícios físicos e a adoção de hábitos saudáveis. E, sem dúvidas, nenhuma empresa deixa de mover ações para garantir a realização dos exames periódicos no prazo.

Mas se tratadas de forma isolada, essas ações não produzem o efeito esperado. Com uma visão mais ampla e sistêmica, é possível enxergar oportunidades dentro da própria empresa para desenvolver um trabalho integrado de gestão de saúde corporativa.

Com a expertise da 25 anos de experiência e a gestão de uma carteira atual de 700 mil vidas, no Imtep entendemos que as boas práticas do mercado aproveitam as ferramentas já existentes nas empresas. Tais como os exames ocupacionais, principalmente admissionais e periódicos, associados aos relatórios de acompanhamento de saúde suplementar, às questões epidemiológicas e populacionais, e ainda às ações de recursos humanos que constantemente buscam por políticas e ações de bem-estar e engajamento. Todos esses fatores bem explorados e sincronizados permitem cultivar e implementar a cultura da saúde corporativa plena.

Nesse contexto, a saúde ocupacional deve ser mais do que o cumprimento da legislação. Deve ser usada como ferramenta para diagnóstico precoce de possíveis sinais de aparecimento de doenças, relacionadas ou não ao trabalho. Para muitos colaboradores, o exame periódico será o único momento no ano em que passará por atendimento médico, o que quer dizer que esta é a maior oportunidade para falar de saúde e prevenção. Isso torna esta acolhida a melhor ocasião para promover engajamento e propagação do sentimento de pertencer. Ou seja, o sentimento de que “a empresa me cuida”.

E, é neste contexto que no Imtep – uma das empresas do Grupo Implus, foi criado o programa Viver Mais. O programa está estruturado em ações corporativas e subdivido em 20 motes que tratam de saúde, bem-estar, qualidade de vida, planejamento de finanças pessoais, educação, meio ambiente, etc.

A primeira ação do programa foi o lançamento do Mais Saúde, no qual 100% dos colaboradores passaram por uma nova experiência de exame periódico que atende a um amplo protocolo pautado em saúde ocupacional e saúde da família, inclusive com a realização de exames como a bioimpedanciometria.

A partir deste periódico emitiu-se um Perfil de Saúde Populacional que orientou a empresa sobre as próximas ações de curto, médio e longo prazo, de acordo com as prioridades identificadas e o protocolo orientado pela Implus Care, outra empresa do Grupo Implus, de programas de prevenção e qualidade de vida.

Assim, com propósito de interatividade, engajamento e criação de cultura de saúde, foram criados dois desafios com ferramentas de gamificação: o Mais Leve e o Mais Longe[vidade]. Ambos de participação voluntária, com regulamentos específicos e respaldados por protocolos desenvolvidos por equipes multidisciplinares. No Mais Leve com médico, nutricionista e psicólogo. Já no Mais Longe[vidade], com médico, educador físico e personal trainer.

A partir daí, criou-se uma competição entre os colaboradores que ganham pontos a cada participação nas ações das campanhas. Ações que vão desde a participação em grupos terapêuticos, postagem de fotos de refeições saudáveis, da quilometragem percorrida em caminhadas e corridas, participação em ações coletivas e ainda encontros regulares com os especialistas disponíveis de forma on-line no aplicativo de saúde NetCare, da Implus Care. Todas essas ações geram a pontuação e criam um ranking entre os participantes, que serão premiados ao final dos desafios.

Assim, à medida que os desafios avançaram, a gamificação e o uso das ferramentas de comunicação interna criaram um clima de engajamento total. Ao longo do Programa, ficou claro o sentimento de pertencimento que pode ser medido com um aumento de doze vezes na interação na rede social interna e com demonstrações de agradecimento dos colaboradores às iniciativas da organização.

Paralelas aos desafios, foram também intensificadas as ações de ginástica laboral dando aos participantes assíduos massagens relaxantes em um ambiente chamado de “Mais Descompressão”. Foram criados ainda dois novos espaços para fortalecer outras vertentes da campanha: as salas de “Mais Convivência” e “Mais Leitura”.

Não há dúvidas que essa experiência nos mostra que, ao integrar a gestão da saúde às ações de bem-estar e qualidade de vida, as empresas tendem a ter retorno com aumento de produtividade e significativa redução de absenteísmo e turnover. Além disso, muita conscientização quanto a adequada utilização do plano de saúde com prevenção, evitando tratamentos mais dispendiosos com doenças e ainda procura indevida pela rede, o que favorece diretamente o controle da sinistralidade.

A saúde corporativa bem estruturada e dando mais atenção à saúde ocupacional com exames periódicos bem feitos, traz ainda a grande vantagem de obtenção das informações em tempo real, o que possibilita a antecipação das ações preventivas e diagnóstico precoce, sem impactar a rede credenciada de saúde suplementar.

Claro que a própria conta médica traz muitas informações de saúde, mas com prazos de até 90 dias após a ocorrência, o que compromete a análise da informação para tomada de ações preventivas e efetivas. De forma prática, a informação do plano de saúde traz um olhar para o passado, enquanto a saúde ocupacional pode trazer o retrato daquele momento.

Outra grande aliada é a tecnologia com inteligência embarcada. A oferta do aplicativo NetCare, da ImplusCare, com orientações por equipes de saúde por videochamada, teleacolhimento emergencial de psicológico, videoconsultas agendadas com psicólogos e ainda a assessoria de nutricionistas e personal trainer são mais do que uma forma de atendimento. São um grande diferencial para engajar os colaboradores e seus dependentes que podem ser atendidos sem sair de casa, sem sair do trabalho, sem sair de onde estiverem!

Enfim, esse conjunto de ferramentas mostra a necessidade de ações integradas, com cuidado coordenado e uso efetivo das informações. Mostra que a gestão da saúde corporativa requer planejamento e uma postura ativa por parte da empresa e, fundamentalmente, de seus parceiros de saúde para então atingir de forma acolhedora e humanizada os seus colaboradores.

Artigo elaborado por Francielli A. Vitali Martins, diretora do Imtep

Leia também:

Imtep completa 25 anos como líder nacional na operação de ambulatórios corporativos

Acidentes de Trabalho: sempre é melhor prevenir