Notícias

Como anteder as necessidades de saúde ocupacional pensando além da legislação

Dicas de gestão, Saúde, Saúde Empresarial

Data: 7 de novembro de 2019

A gestão de saúde ocupacional no Brasil caminha para o nível de excelência, na medida em que grande parte do empresariado começa a entender que Medicina do Trabalho vai muito além de atender à legislação e oferecer um plano de saúde. O Imtep está preparado e equipado para apresentar planos de ação bem fundamentados para resolução de problemas na área de saúde das organizações, fazendo interface com os profissionais, médicos ou não-médicos, que estejam de alguma forma relacionados com saúde ocupacional e segurança do trabalho.

“Quando falamos em dar suporte ao cliente na área de saúde é sempre na linha de orientação, recomendação e direcionamento. Devemos esclarecer, com muita transparência, os conceitos em saúde ocupacional que utilizamos, qual a legislação, contextualizar inclusive juridicamente, para que a decisão tomada seja adequada e justificada”, explica Cezar Berger, CEO do Imtep.

Além da monitoração coletiva, programada, por meio dos exames ocupacionais, que requerem emissão de Atestado de Saúde Ocupacional (ASO), São recomendadas desde formas de monitorar a saúde dos trabalhadores coletivamente até o acompanhamento de casos pontuais. Num primeiro momento é feita a análise global, com a elaboração do Programa de Controle Médico da Saúde Ocupacional (PCMSO) e depois o suporte individual para atender a questões e dúvidas, que surgem ao longo do relacionamento entre cliente e Imtep, que envolvem diversos serviços e ferramentas.

“O Imtep proativamente orienta, aplicando a legislação e os conceitos de boas práticas, com profissionais que acompanham a evolução da saúde como um todo, fazendo atendimento integral, com interface em diversas áreas dentro das empresas”, esclarece o CEO.

Informação e monitoramento da saúde ocupacional

O Imtep trabalha para ser cada vez mais um parceiro das empresas que contratam seus serviços de consultoria em saúde empresarial. Para isso, avança na informatização plena dos dados e processos.

Na unidade Curitiba, isso já ocorre através de um software de gestão que integra as informações operacionais e financeiras. A ideia é expandir essa informatização para os prestadores, para que se tenha um acesso rápido e eficaz ao perfil epidemiológico das grandes carteiras de clientes.

A consolidação de dados vai gerar indicadores para direcionar as ações que serão propostas, num suporte ainda mais aprofundado aos clientes. Nesse sentido, também se busca a melhoria dos acompanhamentos individuais através da chamada Monitoração Pontual. Nas grandes empresas, com operações mais complexas, não basta realizar estritamente os exames ocupacionais e se restringir aos cinco tipos de Atestados de Saúde Ocupacional (ASO) previstos na NR-7.

Rumo à excelência

Geralmente, o que move uma empresa a pensar em saúde ocupacional é uma questão operacional, identificada pelo setor de RH, ou uma questão de legislação trabalhista, identificada pelo departamento jurídico. Em outras palavras, ou está interferindo na operação ou pode gerar um passivo trabalhista.

Mas já existem empresas mais “amadurecidas” em gestão de saúde ocupacional e que aplicam boas práticas, nas quais a legislação é atendida automaticamente e deixa de ser motivo de preocupação. “Atender esses ambientes empresariais, em que se discute muito mais prevenção e promoção da saúde, e também desenvolver nossos clientes para esse nível de excelência são pilares estratégicos do Grupo Implus como um todo, do Imtep à Implus Care. No relacionamento com nossos clientes temos vários exemplos em que atuamos diretamente nesse amadurecimento. A própria evolução da Medicina e da legislação exige uma revisão contínua dos conceitos e, consequentemente, dos processos”, comenta Berger.

Melhoria contínua

O serviço médico do Imtep atua tanto na saúde da organização (empresa), como na saúde do indivíduo (colaborador). E um dos diferenciais do Imtep é mostrar com indicadores a evolução do cliente na área da saúde. É comum nos primeiros contatos e reuniões de implementação da gestão de saúde, o apontamento sistemático do que não está sendo atendido. A partir da prática de processos bem fundamentados, passa-se a se discutir mais as melhorias, algumas vezes até dentro de comitês internos das organizações. O Imtep tem responsabilidade nesse processo. Ao identificar problemas, mesmo de que de forma consultiva, o Imtep atua de forma responsável no cuidado com a saúde do funcionário. O compromisso é orientar e formalizar as boas práticas.

saúde ocupacional

Leia também:

Saúde nas empresas: compromisso com o desenvolvimento sustentável

Imtep completa 25 anos como líder nacional na operação de ambulatórios corporativos