TREINAMENTOS

DST E HIV

HIV e AIDS | Ficar bem informado e prevenir é positivo

O que é AIDS e HIV?

AIDS ou SIDA (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) é uma doença causada pelo Vírus HIV (Human Immunodeficiency Virus) que acarreta na perda progressiva da imunidade. O sistema imunológico do portador apresenta acentuada queda na taxa de glóbulos brancos comprometendo a capacidade de defender-se de infecções e doenças oportunistas.

Transmissão

A via sexual é a forma de contágio predominante do HIV que também pode ser transmitido pelo sangue, esperma, secreção vaginal, leite materno ou transfusões. Mesmo sem apresentar sintomas o portador pode transmitir o vírus. O HIV não sobrevive fora da célula, em contato com o ar, dessa forma, não se transmite por beijos, carícias, tosse, espirro, lágrima, suor, picada de insetos e piscinas.

Sintomas & Diagnóstico

Na maioria dos casos, os sintomas iniciais são leves, atribuídos a um mal estar passageiro, que podem ser os mesmos de outras viroses. Os mais comuns são febre, manchas na pele, calafrios, dores de cabeça, de garganta e musculares. Nas fases mais avançadas, é comum o aparecimento de doenças oportunistas como tuberculose e pneumonia, por exemplo. Existe um exame de sangue específico para o diagnóstico, em média, ele registra que a pessoa está infectada 20 dias após o contato de risco.

Prevenção

A transmissão pode ser evitada das seguintes formas:

1. Sexo seguro, com o uso do preservativo (incluindo sexo oral).
2. Evitando compartilhar objetos perfurocortantes que entrem em contato direto com o sangue, principalmente seringas. Caso estes objetos não sejam descartáveis, é necessária a esterilização.

Tratamento

A AIDS não tem cura, mas com o coquetel de medicamentos ela deixou de ser fatal e tornou-se uma doença que pode ser controlada. O paciente tem acesso ao tratamento anti-retroviral cujo objetivo é prolongar a sobrevida e melhorar a qualidade de vida, com a redução da carga viral e a reconstituição do sistema imunológico.

HPV - Vírus papiloma humano

O que é HPV?

Câncer de Colo de Útero, ou câncer cervical, é uma doença de evolução lenta que acomete, sobretudo, mulheres acima dos 25 anos. O principal agente é o vírus altamente contagioso HPV, que pode provocar o surgimento de várias outras doenças como os cânceres de vagina, ânus, pênis e garganta.

O nome HPV (papilomavírus humano) é dado a um grupo formado por mais de cem tipos de vírus. Os dois tipos mais frequentes de tumores malignos do colo estão associados a ele, sendo os carcinomas epidemoides (80% dos casos) e os adenocarcinomas (20% dos casos).

Transmissão

A principal causa do Câncer de Colo de Útero, o vírus HPV, é transmitido geralmente por via sexual, mas existe a possibilidade de transmissão vertical (mãe/feto) e de infecção por meio de objetos como toalhas, roupas íntimas e até pelo vaso sanitário. A camisinha tem papel relevante, mas não evita totalmente o contágio, que pode ocorrer mesmo sem penetração, porque o vírus também está na pele da região genital.

Diagnóstico

A avaliação ginecológica, a colposcopia e o exame citopatológico de Papanicolaou realizados regular e periodicamente são recursos essenciais para o diagnóstico da doença. Na fase assintomática, o rastreamento por meio do Papanicolaou permite detectar alterações celulares características da infecção pelo HPV ou a existência de lesões pré-malignas. O diagnóstico definitivo depende do resultado da biópsia.

Sintomas

O Câncer de Colo de Útero é assintomático inicialmente. Os sintomas que aparecem na fase seguinte são sangramento vaginal e corrimento de cor escura. Nos estágios mais avançados podem aparecer massa palpável, hemorragias, obstrução das vias urinárias e intestinos, dores lombares e abdominais, além de perda de apetite e de peso.

Tratamento

Para HPV Positivo: a infecção pode ser curada espontaneamente ou com tratamento médico pertinente. Caso isso não ocorra, o tratamento tem por objetivo a retirada ou destruição das lesões que podem evoluir para o Câncer de Colo do Útero.

Para Câncer de Colo de Útero: o tratamento depende do estágio da doença, tamanho do tumor e fatores pessoais (como idade e desejo de ter filhos). Geralmente o médico é capaz de removê-lo cirurgicamente. Em casos mais avançados são indicados a histerectomia radical (retirada do útero e estruturas adjacentes). Em alguns casos, é necessário o tratamento com radioterapia e/ou quimioterapia.

Prevenção

A vacinação das meninas contra o HPV, preferencialmente antes de se tornarem sexualmente ativas, continua sendo medida preventiva bastante eficaz, apenas de não proteger contra todos os subtipos do vírus.

Vários estudos têm associado uma diminuição no risco de desenvolver Câncer de Colo de Útero em mulheres que ingerem micronutrientes nas suas quantidades adequadas como carotenoides, vitamina C e E. Consultar o ginecologista e realizar os exames preventivos periodicamente continua sendo a melhor maneira de prevenir o Câncer de Colo de Útero ou diagnosticá-lo precocemente.

Veja também